domingo, fevereiro 07, 2010

Prospero's Books de Peter Greenway

A conjugação genial de imagem e textos é apanágio do realizador Peter Greenway. Um dos melhores realizadores de sempre. Aqui fica um trecho do Prospero's Books de 1991.
video

"The Pillow Book" de 1996 é outro grande filme de Peter Greenway.
http://www.youtube.com/watch?v=z4I75Rvb0zo

segunda-feira, fevereiro 01, 2010

As cartas de Van Gogh na net


Já aqui falamos no passado da cartas de Van Gogh (ver ao lado 03/01/2004 - 04/01/2004). Mas agora um manancial enorme de correspondência que mantinha com o irmão Theo e com outros amigos, escritores e pintores, nomeadamente Paul Gaugin, está disponível na net. São cartas que para além de muito bem escritas (proeza menos conhecida de Van Gogh), vêm muitas das vezes acompanhadas com desenhos e esquissos que eram estudos para as suas obras e a forma de partilhar os seus progressos com os seus amigos.
Site: http://www.vangoghletters.org/vg/

quinta-feira, janeiro 07, 2010

Rainer Maria Rilke

"... a vida só se pode tornar arte quando primeiro se torna trabalho."
Rainer Maria Rilke

As "Cartas a um Jovem Poeta" (Edições Quasi) deliciam-nos com toda a eloquência deste grande escritor. São escritas tendo como destinatário Franz Xaver Kappus (jovem poeta) mas, sentimos que são dirigidas a nós e suscita em nós todo o tipo de reflexões.
A Literatura epistolar é ainda "o patinho feio" da literatura, mas eu acredito que uma carta pode ser lida e usufruída como literatura. Ora, sabemos que Rainer Maria Rilke tem uma prolixa correspondência e que inclusive a Largebooks lançou agora "Lições de Sabedoria do Poeta" do autor, à venda na Bertrand. São excertos seleccionados dessas suas correspondências sobre os mais variados temas e apresentados em três livros com os seguintes títulos: "Da Natureza, da Arte e da Linguagem", "Do Amor, da Fé, da Bondade e da Moral" e "Da Solidão e da Doença, sobre a Morte e sobre a Vida". A selecção dos excertos é de qualidade, mas lamento apenas o facto de serem apenas isso mesmo, excertos, e não os textos integrais. Se alguém conhece mais cartas deste autor editadas em Portugal, por favor coloque nos comentários.

quarta-feira, janeiro 06, 2010

Juventude de Joshep Conrad



Joshep Conrad mostra-se exímio na arte do conto. Em Juventude, narra a história e as vicissitudes do jovem Marlow, quando este assumia com entusiasmo pela primeira vez o posto de segundo comandante, de uma tripulação que tinha como objectivo levar uma carga de carvão até Bangladesh, num navio chamado Judea. Marlow preteriu um elegante navio britânico por uma esconsa barca, mas com a promessa de aventura. Assim, Marlow não narra um dia feliz que seja, enfrentando tempestades, incêndios a bordo, cansaço extremo e todo tipo de infortúnios, mas ainda assim enfrenta-o com o vigoroso espírito da juventude, não reclamando uma única vez pela sua escolha.

sábado, janeiro 02, 2010

Inglorius Bastards


O último grande filme de Tarantino, Inglorius Bastards (Sacanas sem Lei), é também um dos melhores filmes da sua já brilhante carreira e mais um clássico do cinema. Uma história na Segunda Grande Guerra Mundial serve de palco para toda a tremenda sofisticação de Tarantino. E essa é a grande novidade neste filme porque junta todo o poder das imagens, na herança de Kill Bill, ao poder da linguagem, com textos mais arrojados. A violência que o caracteriza está agora mais regrada, mas sempre presente com toda a sua acentuação irónica.

terça-feira, outubro 20, 2009

The Girlfriend Experience


Uma novidade no cinema, que para meu espanto pouco se fala aqui em Portugal, o filme “The Girlfriend Experience”. Bem… para alguns certamente não será novidade, mas para mim foi uma novidade em toda a linha. Considero mesmo, que este filme é uma pequena pérola do cinema.
O filme realizado por Steven Soderbergh, trata da história de uma prostituta de luxo (Sasha Grey) que marca encontro com os seus clientes e que entre outras coisas, tem com eles conversas sobre o estado da economia, a esperança de Obama e outras trivialidades. O seu namorado (Chris Santos) convive bem com a vida dela mas, entretanto ela apaixona-se por um cliente, o que vai criar alguns problemas na relação.
Contudo a história é o somenos, porque é definitivamente uma história vulgar da vida de uma prostituta. Mas um rasgo de genialidade atravessa o filme pela maneira como é contado, pelo tempo que Sondenbergh usa para cada cena, sem a pressa que um sucesso de bilheteira qualquer exige e pelo excelente trabalho de imagem e fotografia que encaixa perfeitamente na temporização e na história urbana desta jovem.
Curioso é também o facto de Soderbergh ter escolhido Sasha Grey, uma conhecida actriz porno. Talvez uma táctica de marketing, talvez não. Mas é certo que Sasha pode mudar de emprego e tornar-se actriz profissional, porque aparece muito bem no filme. Sasha Grey é além demais uma actriz polémica, porque diz que está no cinema porno não só pelo dinheiro mas porque gosta. Sasha foi em tempos convidada para o programa da Tyra Banks que abordava o problema de jovens raparigas recorrerem à prostituição apenas para manter um alto nível vida.

sexta-feira, setembro 18, 2009

Esmiuçar os Sufrágios


Os Gato Fedorento, já começaram a esmiuçar os sufrágios (e esmiúçam muito bem, por sinal) num registo que faz lembrar o The Daily Show com Jonh Stewart (um programa de humor americano com muita qualidade, e totalmente politizado). E ainda bem, porque todos os episódios até agora têm sido hilariantes, e como consequência, um sucesso. É deveras gratificante ver, em altura de campanha eleitoral, como se saem os demais candidatos às ratoeiras dos Gato Fedorento colocadas em entrevista pelo Ricardo Araújo Pereira. Um excelente regresso.

quarta-feira, setembro 09, 2009

A Corte do Norte

Neste livro, Agustina Bessa-Luís conta-nos a misteriosa história de Emília de Sousa, através de quatro gerações. Emília de Sousa era uma bela prostituta, por quem Almeida Garret se apaixonou e transformou-a na grande actriz dos finais do sec. XIX. Mais tarde, casa-se com uma das mais proeminentes figuras da Madeira, o abastado Gaspar de Barros e muda o nome para Rosalina de Sousa a “Baronesa do Mar”.
O mote desta história é dado por Sissi, a imperatriz Elisabeth da Áustria. Quando esta visita a ilha da Madeira por breves meses, descobre-se que ambas são incrivelmente parecidas. Na primavera de 1861, Sissi parte da Madeira. A partir daqui Rosalina abandona o marido e os filhos ainda muito novos e cria à volta do seu desaparecimento um grande mistério.
Agustina faz esse mistério atravessar quatro gerações, erguendo como só ela sabe fazer, toda aquela trama familiar na história da Madeira. As personagens da obra são decantadas com uma grande mestria técnica, num domínio completo e impressionante da língua portuguesa, que põe esta obra ao lado dos grandes clássicos.

terça-feira, julho 21, 2009

Walk The Line


Só há poucos dias vi o filme “Walk the Line” e reitero a opinião geral de que é um grande filme. A história, é a biografia do cantor Johnny Cash (Joaquin Phoenix) e a história de amor deste com a cantora June Carter (Reese Witherspoon). À partida, e apesar da vida de Johnny Cash ser assunto para uma película de cinema, devido à difícil relação com o pai, a perde trágica do irmão, os problemas com o alcóol e outras drogas, este filme poderia ser apenas mais uma biografia se não fosse o brilhantíssimo desempenho de Joaquin Phoenix. Joaquin Phoenix não se limita a copiar ou a imitar Johnny Cash, ele reinterpreta-o e incute um cunho pessoal um pouco mais dramático. Vemos isso nas actuações em palco onde os gestos e o esgares de Johnny Cash saem um pouco mais afectados, enfatizando o lado dramático da personagem. Para além disso, importa saber que é Joaquin Phoenix e Resse Witherspoon que cantam no filme. Pena é que este filme tenha inspirado tanto Joquin Phoenix, que recentemente abandonou o mundo do cinema para se dedicar exclusivamente à música. Perdemos um grande actor, mas talvez ganhemos um grande músico.

terça-feira, julho 14, 2009

Um dos maiores assassinos, acusado em Haia

Charles Taylor, o antigo autocrata da Libéria foi hoje acusado em Haia de crimes de guerra contra a humanidade. O rol de acusações inclui: homicídio, recrutamento de crianças soldado, exploração sexual das mulheres e trabalho escravo para a exploração diamantífera. As atrocidades perpetradas por Charles Taylor na guerra civil são das mais hediondas que se possa imaginar. As vítimas, tanto população civil como soldados opositores, eram mortas de forma rotineira, a tiro, à machadada ou queimados vivos. Os soldados escolhidos para levar a cabo tais actos eram em grande número crianças, que foram usadas para combater e cometer todo o tipo de crimes. Estas eram espoliadas das famílias, e por vezes obrigavam-nas a matar os próprios pais. Mulheres e raparigas eram também levadas pelas forças rebeldes para serem usadas como escravas sexuais. Desta maneira chegou ao poder na Libéria e instigou a guerra civil no país vizinho, Serra Leoa, com interesses na exploração de diamantes.
Hoje negou todas as acusações que lhe são dirigidas, alegando que lutou toda a sua vida para fazer o achava ser correcto e do interesse da justiça.

terça-feira, julho 07, 2009

Libéria

A Libéria (do latim, “terra livre”) é um país Africano criado pelos Estados Unidos da América por volta de 1916, com o intuito de fazer emigrar os escravos libertados no país, apesar da abolição ter chegado apenas em 1860. Esta medida reveste-se de carácter profiláctico e não altruísta. É que segundo a opinião da época, receava-se que esses negros não se integrassem na sociedade, e que daí advinha certas situações nada convenientes para a sociedade branca, como a criminalidade e outra mais xenófoba, o casamento inter-racial. O promotor desta espécie de diáspora foi a American Colonization Society, que então adquiriu uma parcela de terra perto do cabo Mesurado e aí instalou os primeiros colonos negros. Os conflitos com os povos nativos foram sempre uma constante até hoje. Em 1847 a Libéria declarou independência e o partido True Whig dominou a vida política até 1980. A sua constituição é um decalque da constituição americana e a bandeira nacional são de óbvia inspiração. Nesse ano Samuel Doe protagoniza um golpe de estado e executa o então presidente Tolbert. Em 1989 o National Patriotic Front of Liberia (NPFL) toma em pouco tempo conta do país, mas dissidentes do NPFL formam o Independent National Patriotic Front of Liberia (INPFL) que impedem este de tomar Monróvia (capital da Libéria) e assassinam o Presidente Doe. A Comunidade Económica da Africa Ocidental enviou uma força de paz a ECOMOG, mas o cenário de guerra expande-se e são quatro forças em conflito a NPFL, a INPFL, a ECOMOG e a United Liberation Movement of Liberia for Democracy (ULIMO), esta composta por antigos aliados do presidente Doe. A guerra dizima o país cerca de 200 mil morrem e um milhão vive como refugiado. Esta guerra cria uma das maiores atrocidades, típicas nos conflitos em África, o recrutamento de crianças soldado. Os grupos rebeldes como o NPFL dizimavam aldeias e obrigavam as crianças a matarem os seus pais, davam-lhes drogas e obrigavam-nos a combater. As raparigas, normalmente, eram feitas escravas sexuais do exército rebelde. Consta que 15 mil crianças lutaram neste conflito, em ambas as partes e que muitas unidades eram constituídas apenas por crianças.
Depois das tréguas, Charles Taylor, agora líder do Partido Patriótico Nacional (antigo NPFL) vence as primeiras eleições legislativas em 1997. As crianças soldado depois de usadas para a guerra, são abandonadas, criando um enorme problema social, visto que muitas delas perderam os pais.

sexta-feira, junho 19, 2009

Alegoria das três idades


Obra do pintor renascentista Ticiano do século XVI.
Free counter and web stats